Archives

now browsing by author

 

Como produzir estampas – Guia Passo a Passo

O número de pessoas que diariamente procuram na Internet atrás de informações sobre a estamparia é pasmaste. Quem desconhece o mercado deve até descobrir isso curioso, porém não surpreende a nós da equipe porque temos ciência do quanto o mercado é grande, está em expansão movimenta milhões de Reais no país… daí a curiosidade das pessoas em apreender como produzir estampas.

Elaboramos este Guia Estrito de Configuração de Superfícies – também chamado de Desenho de Estampas – que possui como pretensão ser o material mais completo sobre o objeto na Net. Este é uma sorte de índice permanentemente atualizado (até você deve participar deixando sugestões logo nos comentários) que remete a variados outros conteúdos recursos do Estampa na Rede.

Desta maneira este post é para você que possui interesse em:

  • Emprego do desenho industrial de superfície em Voga;
  • Acrisolamento retrato produtos;
  • Serigrafia (silk screen);
  • Caricaturas estampadas
  • Aplicações, bordados, transfers termocolantes;
  • Produzir uma marca de vestes, decoração, brindes, ou outro impresso;
  • Aprender a personalizar produtos vários;
  • Desenho de estampas em softwares;
  • …ou ainda é só um curioso querendo descobrir mas sobre o mercado da estamparia.

O post é dividido em etapas, qualquer uma focada em um tema chave da geração de estampas. É recomendável ler todas e cada uma das etapas na ordem que são apresentadas, a termo de assimilar o processo do desenho de estampas como um todo. Vamos lá?

Objetivo da estampa

Autonomamente da atividade que você quer começar, é fundamental a partir de o início ter em mente onde você desejar chegar, como a configuração de estampas não é dissemelhante.

Esse objetivo guiará o processo como um todo, revelando toda a série de técnicas que precisará dominar, os equipamentos insumos que precisará ter, o dispêndio, singularmente as limitações que vai precisar enfrentar.

Deve crer: no Desenho industrial de Estampas descobrir enfrentar com as limitações é o que divide os profissionais dos amadores. Ao longo deste post isso vai ficar mais lógico para você.

Para definir um objetivo conforme as regras recomendamos constantemente utilizar o seguinte protótipo: (1) gênero de estampa + (2) a ser gravado + (3) para quem + (4) quantidade de peças + (5) técnica de estamparia.

  1. Gênero de de estampa: será uma estampa situada ou corrida (pattern, rapport, contínua)?
  2. a ser gravado: será uma blusa? ou uma caneca? um rolo de malha? quem sabe até uma cortinado ou parede?
  3. Para quem: é para pequenos? para pessoas que gostam de rock? ou para cães?
  4. Quantidade de peças: será simplesmente uma unidade? ou 10? século? ou milhares?
  5. Técnica de estamparia: acrisolamento? rotativa? serigrafia? sensação digital direta?

No mundo inteiro esses 5 pontos-chave da geração de uma estampa estão amarrados entre si, precisam ser direito definidos para evitar retrabalho.

Deseja um ? Logo ai vai…

Gerar uma estampa corrida para uma camiseta de algodão para bebê do sexo masculino. Serão fabricadas 100 unidades em sensação da area digital direta.

Este sabe que precisará dominar a técnica do rapport (geração de padronagens) no utilitário que este pretende utilizar; conhece as peculiaridades dimensões (tamanho) do ; já possui uma teoria de cores elementos visuais que deve utilizar no projeto; sabe que técnica deve ser usada para gravar; conhece as limitações da técnica (cores, fundos, toque, etc.).

Percebeu a relevância de ter um objetivo muito definido em mente de antemão de começar? Este deixa naturalmente na mente do programador visual como produzir a estampa! Sem essas informações mínimas você não deve nem começar a trabalhar.

Com isso em mente é bastante e simples arrebentar para a próxima lance da configuração de superfícies, que é a Busca.

A Busca pré-geração da estampa

Com seu objetivo naturalmente definido, chegou a hora de “ir a plano” buscar inspiração.

Existem várias formas de fazer isso, porém sem dúvidas a mas eficiente é o Benchmarking.

A instrumento Benchmarking não é mais do que farejar o mercado a procura das melhores práticas. Não possui a ver como fazer alguma coisa proibido gênero de espionagem industrial ou falta de propriedade intelectual. É simplesmente apurar em dados públicos as melhores artes que são criadas presentemente a arrebentar disso se inspirar para gerar suas próprias estampas com a teoria novidade que você conceberá veja neste site algumas ideias https://designcriativo.org/photoshop/caricaturbo-premium/.

Onde fazer essas pesquisas? Existem várias (feiras, atualidades, catálogos, etc.) porém sobretudo recomendamos 2 fontes: lojas físicas net.

  1. Você deve fazer sua busca pré-geração da estampa visitando lojas que vendem produtos semelhantes ao que você está fabricando. Para não narrar apenas com a memória sugerimos fotografar discretamente as peças/produtos que descobrir interessantes com seu telefone.
  2. Ou mas simples ainda esmiuçar em páginas de marcas lojas que comercializam produtos semelhantes ao que você está desenvolvendo – neste caso estaca a sacada de ordenar a lista de produtos por “Mas Vendidos” a opção estiver acessível.

Não deixe também de apurar em redes sociais, particularmente no Pinterest. Essa rede é um ótimo repositório de ideologia, particularmente se você esmiuçar por termos em inglês, o que aumenta bastante o número de variedade de resultados.

O essencial na busca pré-geração da estampa é ligar uma extensa número de referências visuais para se inspirar durante a geração. Por esse motivo que é fundamental não perder de gravar as imagens que você for achando mas interessantes, porque depender simplesmente da memória é uma péssima teoria.

Com todo material em mãos chegou a hora de colocar sua originalidade para funcionar, desenvolver a teoria da estampa.

A teoria da estampa

Junte todo o material que você coletou durante a período da pré-geração.

Olhe tudo mais uma vez.

Agora pegue papel caneta faça seus próprios rabiscos – esse processo de brainstorming. Não precisa descobrir traçar para fazer isso, porque são simplesmente rabiscos mesmo, que absolutamente ninguém mas verá fora você.

O essencial nesta temporada não é a qualidade, sim a quantidade de princípios (insights). Tente ajuntar elementos de diferentes artes que você gostou durante a pré-geração da estampa. Varie objetos. Pense em outros tamanhos, cores, alinhamentos, fontes, etc.

Rabisque o máximo que você puder, porém não deixe o processo passar bastante de 30 minutos, porque depois disso os princípios para começar a rarear bastante tornando o brainstorming um verdadeiro sofrimento.

O segundo passo deste lance é selecionar os melhores rabiscos. Porém não faça isso de forma imediata depois o término do brainstorming. Primeiro vá fazer outra coisa – melhor até repousar. Esse tempo deixará seu cérebro assimilar as informações.

Volte depois pequeno número de horas/dia coloque no lixo tudo que não forem boas convicções. Fique simplesmente com a “nata” – que podem ser no máximo 3 princípios – parta para a geração da sua estampa.

A geração da estampa

Não que esta seja o lance mais essencial, porque todas são, porém é cá que precisa fazer sobrevir.

para isso não basta ser bom nos softwares de desenho, é preciso ser Imprevisto… verdadeiramente profissional. Porque se você não dominar esses programas vai estar limitando suas criações ao teto de sua habilidade com as ferramentas.

Em outras palavras, não adianta ter ideologia incríveis se não gozar “braço” para executá-las.

Os softwares que você vai precisar para gerar suas estampas dependerá do estilo de arte que pretende projetar. Por ex:

A arte deve ser empregada facilmente em um aplicativo de ilustração vetorial como CorelDraw, Inkscape ou Illustrator.

Já para produzir a estampa é necessário manusear com qualquer editor de imagens como Photoshop, Photopaint ou Gimp.

estampas corridas como essa apresentada podem ser criadas com facilidade usar softwares específicos para geração de rapport padronagens (estamparia contínua).

Quais são os melhores softwares para fabricar estampas? Existem divergências de opiniões quanto a isso, porém nós do Estampa ensinamos nossos alunos do curso profissional Desenho de Estampas o Illustrator CorelDraw para ilustração vetorial, o Photoshop para edição de imagens (bitmaps).

Essas 3 ferramentas combinadas possibilitam realizar 100% das suas ideologia de estampas.

agora que você criou a arte? Que o próximo passo de antemão dela pender uma estampa?

Apresentando aprovando a estampa

Não saia estampando sua arte! Ainda não chegou essa hora! Você como programador visual de superfícies precisa continuar todas e cada uma das etapas para reduzir ao máximo o risco da sua estampa fracassar.

  1. Se estiver desenvolvendo a arte para outra empresa/persona, com precisará apresentar a sua geração de antemão de finalizar a estampa;
  2. se estiver produzindo para você mesmo – para sua marca – precisará de uma segunda opinião de antemão de colocar sua estampa no mercado.

Para você que se encaixa no primeiro caso – precisa apresentar para um comprador – disponibilizamos acompanhar um trecho de uma lição do curso Grafers do mestre Marco Lang onde o mesmo ensina técnicas rápidas fáceis para conseguir aprovação por uma parte do comprador clique aqui para saber mais.

A principal técnica a ser observada é nunca conceder mas de 3 opções exatamente a mesma estampa ao comprador, a termo de não confundi-lo.

para você que se encaixa no segundo caso, ou melhor, está fabricando uma estampa para sua marca, é fundamental apresentar sua geração a alguém do público meta da estampa.

Lembra da preparação do Objetivo da Estampa? Lá você definiu “para quem” é a estampa que está fabricando. Pegue esse alguém – ou até mas pessoas se possuir possibilidade – que representa esse público mostre sua geração a ela(s).

No que citamos anteriormente o “para quem” era um bebê… óbvio que você não vai solicitar opinião a um bebê (rs)! Você vai solicitar um feedback da persona que vai adquirir a camiseta para o bebê. Entendeu?

Qualquer caso é um caso que exige sensibilidade por uma parte do programador visual de estampas.

Uma última indicação que para cá é JAMAIS solicitar feedback para pessoas com a opinião “viciada”, isto é, pessoas que vão poder ter pavor ou vergonha de falar a verdade para você. Ex-: mão, consorte, contratado chaleira (rs), etc.

não se assuste se sua estampa não for aprovada de primeira. É melhor “falhar” neste lance do que colocar uma estampa errada no mercado perder sua credibilidade e grana – ou o grana do comprador.

Conclusão do registro da estampa

Uma vez que você possuir sua estampa 100% aprovada chega a hora de vedar o registro. É uma seção muito técnica que exige profissionalismo por uma parte do programador visual de superfícies.

É necessário prestar atenção em variáveis como:

  • Sistema de cores;
  • Dimensões;
  • Separação de cores;
  • Reticulação;
  • Encaixes;
  • Troca de ficheiros, etc.

Tudo isso vai depender – variar – da técnica de estamparia que for adotada do fornecedor. Desse modo é tão essencial ter definido seu objetivo direito, porque erro lá no início inicia a se tornar uma dor de cabeça neste lance de fechada.

Na hora de tapar o registro da sua estampa para sentimento não poderíamos recomendar melhor do que conversar com seu fornecedor.

Este vai descobrir a melhor do que absolutamente ninguém se precisa enviar o registo em documento em formato portátil, JPG, CDR…Se pretenderá em CMYK ou RGB… se é para separar as cores… etc.

Por ex no caso da serigrafia, existem impressores que preferem eles mesmos fazerem a separação de cores reticulação, outros exigem a arte já finalizada. Ou no caso de estúdios de purificação que trabalham com RGB contrariamente CMYK… por ai vai.

Bastante desvelo com esse lance sátira da fachada da estampa. erro aqui se tornará uma autêntica tragédia. Por consequência é fundamental revisar tudo mas uma vez de antemão de verdadeiramente exarar as peças.

Revisando sua estampa

A revisão é alguma coisa bastante pessoal, varia de programador visual para programador visual. Sugerimos constantemente uma revisão em 2 etapas:

  1. Revisar o registro fechado. Por ex no caso da serigrafia testar os fotolitos, ou no caso da acrisolamento olhar muito a folha impressa de antes de prensar.
  2. Revisar depois da primeira fração estampada. Isso evita que pequenas falhas se tornem prejuízos gigantescos.

Revise elementos como:

  • Cores;
  • Juntura;
  • Dimensões;
  • Fontes;
  • Ortografia;

Epílogo

Se você continuar as etapas deste guia aumentará significativamente as chances de sucesso de suas estampas reduzirá substancialmente o retrabalho em projetos de arte para estamparia, com exceção de estar produzindo para sentimento do dedo, acrisolamento, serigrafia, rotativa ou outra técnica de estamparia.

É constantemente essencial acompanhar um método. Diversos designers estilistas esquecem disso pelo próprio caráter criativo da profissão. Pensam inexatamente que métodos engessam a originalidade na realidade eles apoiam alavancam ela.

Apesar deste post ser longo, de fato a teoria por detrás dele é bastante fácil:

  1. Tenha naturalmente na mente a finalidade da sua estampa;
  2. Faça uma busca pré-geração consistente, que englobe o melhor do mercado;
  3. Elabore ideologia criativas com potencial mercantil;
  4. Domine os softwares de desenho industrial para converter suas ideologia em estampas;
  5. Mostre seu trabalho melhore este até o momento que as pessoas quiserem compra-lo;
  6. Feche o registro da estampa em parceria com o impressor;
  7. Revise duplamente sua estampa.

Como mencionado no início do post, elaboramos este Guia Imutável do Desenho industrial de Superfícies como a pretensão ser o material mas completo sobre o matéria na Net. Sabemos que este ainda possui bastante a prosperar, até contamos com a sua ajuda para isso.

Se possuir alguma coisa a acrescer deixe nos comentários que teremos o prazer de implementar. 😉

Como a Estampa Deve Tornar sua Vida Melhor

A estampa é uma das mas antigas eficientes formas de linguagem. Consegue transmitir sentimentos, desejos emoções sem que você precise exprimir um só termo.

Traçar é uma experiência que gratifica instrutiva, que possui bastante a ensinar sobre relaxamento concentração. Ah! Você também vai passar a ver pessoas objetos com um novo olhar.

Prepare-se para uma bela jornada. No início, serão unicamente rabiscos em várias camadas, talvez até incompreensíveis.

Com o passar do tempo, sua mão conquistará novas habilidades, produzindo traços firmes precisos. Vai iniciar a perceber o lápis como uma extensão da sua mão.

Você ganhará cada vez mais elogios por qualquer esboço que realizar. Sua visão de planeta, sua sentença seus sentimentos estarão bem representados neles.

Uma satisfação para a Mente para o Corpo

O que acontece você assiste a um bom filme? Provavelmente, sua atenção está tão focada na tela que você parece participar das cenas, não é verdade? Parece estar em uma outra dimensão. está mesmo!

Esse efeito “mágico” também é sentido se desenha. Você sustenta o foco na realização de uma tarefa prazerosa, mente corpo relaxam de estresse. Tudo meditativo!

Só um pormenor: ao traçar, procure um lugar tranquilo desligue seu celular.

Voe, porém Voe Elevado!

Do mesmo modo que um bom livro, o esboço é um passaporte para o planeta da fantasia, da imaginação dos sonhos.

você, com o seu olhar, com seus ensaios com suas percepções entra em contato com esse sonhar acordado, maravilhas acontecem.

Você sente silêncio, tranquilidade alegria deve, sem preconceitos nem menoria, converter seu papel em um espaço todo seu.

Não Existe Idade para Ser Feliz

O esboço traz melhoras para você SEMPRE! Sabe o que? Independente da sua idade, seu menino interno está continuamente pronto a tornar sua vida recheada de momentos felizes, é justamente com esse menino que o esboço procura conversar sustentar a sintonia.

O conflito o estresse do nossos dias procuram sufocá-la, porém o desenho possui outros planos para ela. Deseja ouvir suas ideologia levar para o papel seus pensamentos.

Um Novo desenho para seu Cérebro

Você desenvolve seu cérebro cada vez mais e dá a este possibilidade de buscar o novo. É profundamente favorecedor perfurar espaço para este aprender novas dignidade viver novas testes.

A estampa, logo, é um meio maravilhoso para você “redesenhar” o seu cérebro, estimulando-o a gerar novas conexões.

A chave é DIVERSIFICAR. Uma boa indicação é testar papéis de texturas que você nunca empregou. Ah! Que acha de traçar com lápis de uma marca dissemelhante da próxima vez?

Não gosta de traçar à caneta? Mantenha a mente oportunidade! É hora de testá-las também. Use canetas de espessuras variadas. Você deve, ainda, ter no seu repertório pincéis tintas de variados matizes. A pretensão é estimular novas convicções perspectivas.

É preciso ter Dom para Riscar?

Você acha que só desenha quem possui dom? Esse é um dos mitos que rondam o planeta do desenho.

Um tempo atrás, eu mesmo achava que riscar não era para mim. Acreditava que fazer arte não era “minha praia”, porém você vai perceber que sua evolução acontecerá de antes mesmo do que imagina.

Guarde seus primeiros desenhos. Daqui a poucos meses, você vai permanecer boquiaberto ao compará-los com que já vai estar fazendo.

Preciso lhe falar também que a carência de um dom deve ser compensada conjugando-se três verbos: saber, repetir perseverar.

Busque conhecimento incessantemente, pratique o que foi aprendido faça das duas primeiras etapas um hábito, um círculo virtuoso.

Esse artista sabe bastante igualmente para fazer persona aprender a riscar. Este possui acudido muita gente a desenvolver as habilidades precisas para o esboço realista a grafito também pintado.

Melhoras

O post ficaria bastante extenso se eu citasse o mundo inteiro as melhoras estampa deve proporcionar a sua vida, logo separei poucos:

  • Ajuda você a ser mas criativo, ter mas paciência disciplina
  • Possui auxiliado varias pessoas a vencerem a depressão a impaciência
  • Aprimora sua visão sideral
  • Aperfeiçoa sua coordenação motriz
  • Estimula o conhecimento de si próprio, a autoconfiança o convívio social
  • Amplia sua bagagem científico
  • Acrescenta a sua vida mas diversão prazer
  • Gera uma renda extra, podendo até mesmo ser seu ganho superior de renda

Como você percebeu, o escorço é bastante mas que traços no papel. Este deve beneficiar sua vida de inúmeras jeitos, logo aproveite. Curta qualquer minuto que você reservar para riscar.

você se dessem a saída de estrear a aprender a traçar, entenderá melhor tudo o que lhe falei de antes.

veja Isso:

Entendendo a Arte de Cantar

Você acha que a arte de desenhar é um dom ou é alguma coisa que deve ser aprendido?

Você acha que a arte de desenhar é um dom ou é alguma coisa que deve ser aprendido?

Esse é um objeto controverso! Uns defendem que certas habilidades são inatas, da própria natureza ou genética do sujeito. Outros acreditam que habilidades podem ser adquiridas com estágio treinos constantes.

Que das duas hipóteses vai estar correta? Você acha que traçar é um dom ou não?

O mito do gênio

É inconcusso que há raça cujas habilidades se mostram presentes a partir de cedo. Uma tendência, uma facilidade acompanhada de paixão por alguma coisa. São esses os “gênios”, com capacidades que se destacam da aglomeração.

Porém essa teoria de “gênio” já carrega número reduzido de preconceitos que não correspondem à veras. Porém essas pessoas têm é a paixão a curiosidade por determinado objeto, são tomados de um libido incansável de aprender submergir tal atividade.

A jornada destes “gênios” não é atrás de glória ou grana. São acompanhadas de um prazer único por estarem fazendo alguma coisa que amam, que refletem sua personalidade personalidade. Logo o prêmio não está no final, porém na trajetória. O fácil ato de fazer traz a satisfação que os sustenta firmes em seus propósitos.

Desta forma, percebe-se que a persistência se faz mas essencial que o talento, porque uma mente interessada motivada se mostra incansável em sua procura. Seu trabalho sua vida são partes de si, caminham juntos. Essa vocação norteia suas ações os levam a atingir níveis inimagináveis, ainda que para isso, ligeiro anos ou muitos anos.

Desenhar: uma habilidade a ser aprendida

O esboço realista não é alguma coisa mágico ou que dependa de qualquer “dom”.
Para se desenvolver nesse espaço é necessário paixão, mandamento disciplina, tudo escoltado de muita prática.

O entrave é que, nos deparamos com qualquer estilo de estampa que nos impressiona, nossa mente velozmente recorre ao “mito do dom”.
Pensamos: ah, isso é para quem já nasce com talento! Se bem se eu estudar ou fazer curso, nunca prosseguirei aprender!
É nem mais nem menos nessa tempo que vários nem ousam tentar aprender…

Assim sendo, uma das primeiras coisas que precisa permanecer muito clara é que a arte de traçar deve ser desenvolvida por persona!

A prática leva à sublimidade

Em nossa lida de ensino com alunos nos deparamos com situações vemos pessoas que nos traz a fé de que o trabalho rígido supera o talento.

Alunos que, a princípio não desenham , ou que apresentam certa complexidade. nada obstante não desistem! Trabalham ininterruptamente apresentam uma evolução metódico, se bem que mínima, sendo que qualquer tempo depois já estão fazendo desenhos fabulosos.

Tudo está na predisposição mental. Uma alma reptante move montanhas, uma pedrinha de qualquer vez, porque não se espanta com a imensidão de trabalho pela frente, porque no próprio trabalho em si já está o prazer. Tudo se resume em uma paixão que lhe faz crer se destinar.

Se você se identifica com esse anjo provocador, a estampa realista é sim para você!

Veja isso:

Entendendo a Arte de Cantar

Entendendo a Arte de Cantar

A função básica do Bardo, por incrível que pareça, é cantar. O bardo deve se livrar das coisas que o impeçam de cantar de utilizar seu instrumento. Ex-: traumas vocais, falta de estudo, hábitos errados.

Como cuidar muito da saúde oral:

  • Não fazer uso de spray ou pastilhas
  • Evitar gelado
  • Evitar o espaço condicionado, porque provoca o ressecamento das mucosas, alterando a vibração das pregas vocais. Se não for provável evitar, procure constantemente tomar agua.
  • Não pigarrear
  • Sustentar a testa reta no ato da fonação (para de forma livre passagem do espaço)
  • Ler muito as palavras
  • Não competir com ruídos externos
  • Tomar bastante líquido para hidratar as pregas vocais

Autoconfiança se adquire com estudo:

O mas essencial não é onde nos encontramos, porém para onde marchamos.

Seja Otimista

Tenha uma visão mas positiva da sua voz. Você tem ser a primeira persona a gostar de sua voz. Treine, faça exercícios, cante… Porém, faça tudo valer a pena.
Seja feliz. A nossa voz reflete estamos problema. Ocasionalmente temos adversidades, porém cante, feche os olhos cante. Você irá se sentir muito melhor. Se você aspira a uma vida feliz trabalha para isso, evitando inseguranças, ansiedades preocupações; acredite isso é o melhor para a sua voz. Trovar não é um sonho nem uma fantasia, é donativo. Varias pessoas habitam sofrendo por sua voz , se outros puderam aprender a trovar, você também deve.
É você quem escolhe a voz que deseja ter. Comece a descobri-la.

Pratique para desenrolar seu potencial

Comece a estudar, dedicando-se um tempo para aprender recursos aplicáveis em sua voz para prosperar seu timbre, expressão, postura, respiração, etc. Veja neste site mais dicas: https://www.aprendermusica.org/ . Da mesma forma o tempo seja pouco, faça com que este seja regular. Se você se dispôs a estudar 15 min por dia, ótimo, Não comece estipulando um tempo muito longo a detalhe de não conseguir cumpri-lo e se frustrar.
Escolha um repertório de que gosta de ouvir. Maneira como você canta, qualquer uma das músicas, é constantemente uma escolha sua. Fazer da sua voz da sua vida uma donativo é uma escolha que depende de você de sua dedicação.

Programe-se

Ouça seus cantores preferidos cante com eles. Talvez o processo imitativo tenha como auxiliar, porém tome constantemente desvelo de não forçar a gorgomilos. se estiver doendo, pare.
Treine suas expressões faciais corporais. Cante no espelho, faça pequeno número de caretas, seja o mas desenvolto provável. Trovar tem ser completamente uma forma de sentença.
Lembre-se que a autoconfiança é um progresso mental. Aos bocados, quanto mas saber sua voz descobrir do seu potencial, mas autoconfiança você terá. Porém, exige dedicação um controle mental. Não tenha medos. Abra a boca. Se bem que estranhe no início sua voz cantada. Isso é um processo. todos e cada um dos cantores também passaram por consequência um dia.
Se a goela estiver doendo, pare. Se bem que esteja belo de se ouvir. você esteja curtindo ao maximo. É melhor suspender… Você deve estar machucando a voz. nós não almejamos isso, ok?
Não adianta colocar a culpa nas dificuldades, nos professores, na técnica ou em quem almeja que seja. Precisa se clarificar que uma voz muito trabalhada exige dedicação. Esforce-se para conseguir a voz que você sonha: Estude. Leia mais

A respiração é a sustentação da quina:

Vamos lá… Inspire, expire… respire!!!

Um bardo que não sabe respirar de modo correto não controla muito a saída de espaço assim sendo não aguenta uma nota afinada por bastante tempo. O maior sigilo da afinação está na respiração. Se você não respira ereto, se bem não cante constantemente, está vivendo cansado não sabe por quê.

Exercite (Veja se você respira direito)

Coloque uma mão na ventre a outra no peito. Inspire expire. Observe que das mãos vem para na frente de primeiro. Se a da ventre vier para na frente de primeiro, congratulações! Se a do peito vier para na frente de, treine até conseguir respirar sem alçar os ombros sem estufar o peito.
Solte todo o espaço murchando o ventre. Fique pequeno número de instantes sem respirar. Relaxe deixe o espaço entrar naturalmente sem forçar sua ingressão. Se você fizer isso pequeno número de vezes, perceberá que o espaço adentrará sozinho, porque sua ingressão acontece naturalmente.
Inspire solte o espaço fazendo SSSSS, FFFFFF, XXXXX.

Dicas para aprimorar

Ingerir maçã com casca é ótimo para mundificar a gasganete.
O limite de um profissional do canto com talento sem técnica é bastante pequeno. Estude a término de desenvolver ao máximo o seu instrumento , especialmente, saber a sua extensão verbal.
Faça o melhor para Deus, afinal, Este merece… muuuuito!!!!
Visite um otorrinolaringologista regularmente a termo de prevenir futuros obstáculos com a voz. O seu instrumento não deve ser trocado, vendido ou comprado como um teclado ou um violão.
Cantar com uma caneta entre os dentes deve progredir a vocábulo.

Tocar teclado é um ótimo exercício para pois estará ouvindo e contanto, e como tocar teclado da maneira correta? Tocar a musica que mais gosta no teclado, cantar e cantarolar para deixar fluir, dessa maneira exercitando mãos cérebro e a voz, adquirindo um equilíbrio ao fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo.
Ancoradouro a boca para cantar. Isso deve progredir sua afinação.
A última nota de uma oração músico deve finalizar uma cantiga ou destruir a desfecho dela.
Ouça boas músicas, de preferência Gospel.
Zelo na hora de selecionar a tonalidade da música. Nem constantemente é provável cantar uma música no mesmo tom do tradutor original, então é essencial saber seu tom de voz tentar adequá-la à música.
Não se empolgue cantando ao agitado porque sua afinação deve não permanecer boa.
As notas graves necessitam de menos pressão.
Você deve fazer todos e cada um dos exercícios de esquina, porém deve descobrir aplicá-los nas músicas que canta.
Toda nota que você dessem deve caminhar a seu obséquio. Toda nota é singular: nota de passagem, grave ou aguda. Toda nota é música! Então, valorize todas elas.
Ter originalidade, controle estabilidade é descobrir entregar uma nota aguda suave ou “mandar ver” se for necessário.

Viedeo: como cantar certo com Jairo Bonfim

Não tenha pavor de cantar

De repente você é chamado para fazer um solo você já pensa: – Ai, meu Deus!!! O que eu faço???!!! Se você já estuda ou é um interessado em aprender mas sobre sua voz, acho que você deve tentar sim, porque não?

Ensaie bastante. Cante, ao menos, mas de 10 vezes a música em moradia. cante nem mais nem menos como irá cantar no dia.

Se for cantar com orquestra acompanhando, combine de antemão o que vai fazer. Se for cantar com playback, especifique com o técnico de som o número da filete converse com este se deve auxiliar com a passagem de som. Estude sua seção. Quem acompanha não possui a obrigação de fazer você assestar.

Sustentar a calma não é uma coisa simples para pequeno número de pessoas. Existem diversos macetes de respiração para observar os batimentos cardíacos, porém isso deve não resolver. Porém se você estudou em moradia, confie naquilo que você estudou antemão. O resto é ação do Anjo Santo de tocar as pessoas abençoá-las por intermédio de sua voz. Responsabilizar Este é importantíssimo, porém devemos fazer a nossa secção, ok?

Se você ensaiou, sabe a letra, passou o som, porém ainda está nervoso, ouça não há mas o que se fazer. Pense nas coisas boas que fez para se preparar pense no resultado. Você vai se sentir muito em descobrir que no final vai estar tudo muito bem. Controle-se, respire chegar a hora, por obséquio, cante!

veja isso:

Galeria de arte ainda é relevante para o artista?

Da Galeria ao Museu!

Galeria de arte ainda é relevante para o artista?

Varias coisas mudaram para os artistas a partir do início da Net. Mas notavelmente, os artistas agora têm bastante opções para apresentarem a sua arte. O sistema de galeria de arte tradicional ainda possui o seu lugar, porém já não controlam mas a exibição como antes da era da Net. Ser representado por uma galeria de arte já não é absolutamente o melhor único caminho próximo pelo artista. Não obstante tudo isso, vários artistas continuam sua incessante procura pela representação por uma essencial galeria sem perceber que outros caminhos se abriram em relação as negociações, comercializações produções de arte.

A principal razão por essa alteração nos negócios das arte é que agora o artista deve conversar de forma direta com o seu público proteger seus interesses de modo mas consistente com menos sujeição de terceiros, alguma coisa que na era pré-net tinha um sentido maior ser constituído pela Galeria. Pela primeira vez na história em diferentes formatos o artista deve aglomerar milhares ou até milhões de seguidores.

Na era pré-net o sucesso de um artista estava bastante mas sujeito a Galeria que o representasse o quanto de grana que essa Galeria iria investir para propaganda do artista no mercado doméstico ou externo.

Galeria de Arte x Artista

Se bem que tudo isso ainda aconteça, já não é tão extensa o que de antemão era a apenas via agora é unicamente uma das vias. Está bastante mas simples incrível a notícia entre artista o público o tempo de administração das Galerias de Artes acabou, os compradores estão a poucos passos da obra do artista.

Os artistas agora podem fazer praticamente tudo disponível, todo o trabalho que um dia a galeria de arte fez por eles agora deve ser conformado pelo artista ou seus equipe. A Net também facilitou o aproximação a mão de obra barata para a produção de trabalhos que não façam secção das habilidades dos artistas.

A notícia direta entre artistas compradores era um extensa impecilho quase que não existia. Era praticamente impraticável um comprador localizar um artista. Presentemente o artista está presente em vários canais de comunicação está bastante mas simples enviar uma mensagem de forma direta a este com a garantia que este ou alguém da sua equipe vá ler.

É correto que alguma pessoas podem discutir que as galerias de artes constantemente terão o seu papel para os artistas que não almejam se aprofundar em marketing participar mas ativamente da net, preferem um planeta mas solitário menos social, porém a net é um planeta solitário pouco social. As redes sociais, por ex, estão mas a serviço do artista do que da venda de um tela essa relação artista-público é mas eficiente conformado pelo artista do que pela Galeria de arte.

No time das Galerias são poucos artistas que vendem fazem o grosso do receita, em sua maior parte os artistas ficam a margem das vendas o que quer dizer que a Galeria não possui uma preocupação tão extensa em expor, investir, tentar apresentar para colecionadores ou feiras esse artista de poucas vendas. Mesmo um artista representado por uma essencial Galeria de Arte não possui garantia nenhuma de venda bastante mas de exposição, no conectado o artista possui controle totalidade da sua vulgarização de sua curso.

Tradicionalmente as galerias são um passo necessário para os artistas que desejam que sua obra trafegue em museus, instituições, coleções corporativas os níveis mas altos do planeta da arte. Porém isso também mudou. Muita pessoas que consomem arte pesquisam compram pela net o tempo todo incluindo colecionadores, curadores, investidores, especuladores, galeristas outra persona interessada em arte, incluindo o pessoal do reunião. O mundo inteiro estão a procura da novidade extensa estrela a net possibilita uma busca bastante mas ampla que nos patrimônio tradicionais.

Para os artistas, as chances de serem descobertos conectado está qualquer vez mas reais. Páginas de arte, blogs, publicações outras mídias especializadas estão detrás de artistas com qualidade para apresentar para o seu público. Como resultado desse novo protótipo de comunicação é que os artistas estão qualquer vez mas reconhecidos no mercado sem ter infalivelmente trafegado pela via tradicional das artes.

a notícia mas surpreendente é que a relação hierárquica entre Galeria de Arte x Artista está se convertendo. A Galeria continuamente teve controle totalidade do seu time. Ela que definia de modo mas direta quem seria representado atualmente com o conseguir do artista através das mídias sociais este se faz presente mas necessário para as Galerias, seu potencial de vulgarização, varias vezes, é superior que da própria Galeria. Uma ruptura de norma levando em conta que esse papel é da Galeria a quando menos 100 anos ou a partir de que elas foram fundadas.

uma galeria de arte típica deve ter pequeno número de milhares de seguidores conectado, não é tão incomum para um artista ter dezenas ou mesmo para centenas e centenas de milhares de simpatizantes. Não há excitante em continuar a maior parte das galerias, praticamente tudo o que fazem é postar as artes dos artistas representados, acompanhar o artista é muito mas abalado porque é um contato direto com seu ídolo é geral que sua narrativa o seu perfil de postagens agregue muito mas preço que um post de Galeria.

Rede Social – Twitter

Nós que temos uma Galeria de Arte vemos nem mais nem menos isso suceder em nossos relatórios. Um é que nossas obras são vendidas mas por buscas por nome de artistas do que pelo nome da nossa Galeria. Em nossos relatórios estaca evidente que vários compradores chegam em nosso sítio porque procuraram determinado nome de artista em consequência de facilidade em adquirir a obra em nosso sítio acabamos fechando negócio. Uma informação relevante que prova como a jerarquia entre Galeria x Artista mudou completamente.

Isso mostra como artistas com um extensa número de seguidores, artistas que possui um projeto de net muito organizado possui um montante enorme para a Galeria como seus fás podem ser uma valiosa moeda de troca no planeta da arte.

Agora, de antemão de permanecer entusiasmado com tudo isso, temos que meditar de modo consistente objetiva não se maravilhar por uma utopia de sucesso. Não são todos e cada um dos artistas que conseguem se realçar no planeta do dedo. São incontáveis os fatores que irão dominar no sucesso de alguém, é difícil definir bastante menos mensurar as peculiaridades precisas para o sucesso.

O essencial é o artista estar concentrado prestes para trabalhar forte em seu projeto. é irreal, porém tudo requer bastante trabalho para se realçar no planeta do dedo o artista tem ter um projeto consistente seus objetivos muito claros. É essencial trabalhar com objetivos reais que sigam uma crescente. Nós que trabalhamos a diversos anos com artistas já vimos de tudo vamos poder perceber que tão somente os artistas que trabalham rígido, que colocam metas reais buscam por essas metas que conseguem se entregar muito nas artes visuais.

 

Da Galeria ao Museu!

Acumular objetos que hoje em dia entendemos como artísticos deu origem aos museus à sua distinção em diversos áreas do conhecimento, ao longo do século 19. É na constituição do variedade de arte, na conformação da história da arte como disciplina acadêmica dentro das universidades, concomitantemente à asseveração dos Estados-Pátria no Velho Planeta, que possui início uma diferenciação bastante clara entre arte “antiga” (da tradição, ou aquilo que em inglês constituiu a noção de Old Masters) a arte “moderna”. Naquele instante, a teoria de “moderno” associava-se ao que era produzido pelos artistas vivos (por alto como ocorre hoje em dia em relação à teoria de “contemporâneo”). O temporada pós-revolucionário, na França, marcou um embate entre os artistas vivos os organizadores das primeiras exposições de arte da tradição – o que o cronista da arte Francis Haskell de Old Masters Exhibition, para este um gênero inerente de exposição que dura até atualmente –, em que os artistas vivos se viam prejudicados na promover venda de suas obras diante do nascente colecionismo mercado para a arte da tradição. É a lascar da segunda metade do século 19, diante das testes vanguardistas do início do século 20, que essa produção passa a ser designada como “arte acadêmica”, inicia a diferenciar-se qualquer vez mas da arte moderna, como a entendemos hoje em dia.

Desde logo, fez-se bastante claramente a separação entre um giro artístico regressado para o colecionismo de preciosas artes – que envolveu tanto as coleções de arte da tradição quanto as de arte acadêmica – outro rodeio, que se especializou no colecionismo de arte moderna. Desta maneira, não é provável meditar num colecionismo de arte moderna sem meditar que este é contemporâneo ao colecionismo de arte antiga que, de certa forma, são complementares emprestam práticas modelos um para o outro. Isso é evidente na forma pela que a produção dos artistas modernos passou a rodear a ser institucionalizada ao longo do século 20, quer dizer, pela constituição de críticos, galeristas colecionadores dedicados a constituir a memória da arte moderna, nos mesmos moldes que o fizeram aqueles que haviam escrito a história da arte dos artistas do pretérito. Esse padrão ainda parecido operar com bastante eficiência até hoje em dia, com a consolidação de galerias, coleções museus especializados em arte contemporânea, desconjuntando esta das outras duas categorias.

Dito isso, a imagem que se construiu para nós do colecionismo de arte moderna de arte contemporânea é de que haveria nele correto intensidade de autonomia nas escolhas um engajamento “real”, “puro” dos colecionadores. Pensemos em três exemplos, em circunstâncias territórios distintos para tentarmos discutir essa imagem.

Coleções modernas em SP NY
Tomemos, no começo, o caso de Peggy Guggenheim como expressivo do colecionismo de arte moderna em meados do século 20. Nascida em uma rica família de judeus de Novidade York estabelecendo-se a partir de bastante cedo em Paris, Peggy foi amiga do artista Marcel Duchamp, por meio dele teria se interessado, sobretudo, pelos artistas surrealistas. Sua primeira tentativa como galerista foi com a geração da Galeria Guggenheim Jeune, em 1939, em Londres. Com a eclosão da Segunda Guerra Global, ela dedicou-se a adquirir um imagem de um artista moderno por dia, sob orientação de seu camarada crítico de arte anglicano Herbert Read, pensando na geração de um variedade de arte moderna em sua terreno natal. O projeto viria a ser vencido pelo de seu solteirão, Solomon Guggenheim, o que levou Peggy a fundar a Art of This Century, em 1942. Caracterizada por uma arquitetura absolutamente moderna radical, a galeria concretizou exposições para apresentação de sua compilação várias sinais monográficas de jovens artistas, como no caso dos setentrião-americanos ligados ao expressionismo abstrato. O conclusão da galeria, em 1947, é seguido pelo restabelecimento de Peggy na Europa, com a compra da chamada Villa Venier dei Leoni, em Veneza, onde ela passa a morar desde 1949 morre em 1976. Sua villa é atualmente sede da sua compilação uma das sucursais do Reunião Guggenheim de Novidade York.

Paralela às iniciativas de Peggy Guggenheim, a São Paulo do pós-Guerra seria marcada pela urgência de instituições ligadas à promover da arte moderna que veio acompanhada da geração da primeira galeria de arte moderna na cidade. A Galeria Domus, fundada pelo parelha de aristocratas napolitanos Anna Maria Paschoale Fiocca, foi empregada com o escora financeiro de Ferdinando Matarazzo (primo do mecenas Francisco Matarazzo Sobrinho, logo presidente-fundador do MAM-SP) teve, nos seus poucos anos de existência, papel fundamental no fomento a um colecionismo privado de arte moderna. O que é interessante no caso da Domus é a introdução de artistas estrangeiros em seu montão suas exposições, particularmente a promover da arte moderna italiana. A busca do repórter José Armando Silva, há pouco publicada no livro Artistas na Metrópole: Galeria Domus 1947-1951 (Via Impressa), também objeto de uma exposição no MAM-SP, até 30/4, certamente nos abre novas capacidade de investigação sobre o colecionismo privado de arte moderna em São Paulo naqueles anos. Sabemos, atualmente, que o par Fiocca não tinha nenhuma experiência anterior com o negócio de arte, como vários de seus contemporâneos na Itália, que, no inopino pós-Guerra, criaram um transacção de arte moderna como forma de sobrevivência – trocando riqueza de primeira premência (tição, gás, mantimentos etc.) por obras de arte. Embora esse não seja nem mais nem menos o caso dos Fiocca, sua inserção no envolvente da escol paulista como galeristas de arte moderna foi, para eles, uma escolha de tentar uma novidade vida no Brasil.

A Galeria Domus teve uma atuação essencial não só no fomento ao colecionismo privado de arte moderna, como também por vezes interveio na constituição do ror do MAM. A promover dos artistas paulistas (ligados ao envolvente do Associação de Artistas Plásticos de São Paulo) resultou em aquisições privadas que encontram reverberações em escolhas feitas para o MAM. É o caso das obras brasileiras que Francisco Matarazzo Sobrinho doara para o pilha inicial do mescla, igualmente o conjunto de obras do artista autodidata José Antônio da Silva – que teve contrato de exclusividade com a Domus. Nos mesmos anos quando Matarazzo comprou obras do artista, via galeria, José Antônio da Silva era lançado na Exposição de Pintura Paulista (1949), organizada pela Domus na sede do Ministério de Instrução Saúde (atual Palácio Gustavo Capanema), no Rio de Janeiro, o MAM-SP preparava sua autobiografia, Romance da Minha Vida, para publicação.

Do reunião ao espaço de arte
Um terceiro , dessa vez mas contemporâneo, é o da compilação Würth, na Alemanha. A Würth é companhia a princípio de estrutura familiar, fundada no segundo pós-Guerra que cresceu com a reforma da economia alemã ao longo das vários anos de 1950 1960. Embora tenha sucursais em todo o planeta, sua atuação é maior entre a Alemanha, a Áustria a Itália. Lá, a Würth possui, junto às suas de fábrica escritórios, uma rede de circuito de exposição de arte, no formato do que os alemães chamariam de Kunsthalle, produzindo desta forma um giro recíproco de exposições de arte moderna contemporânea fora das grandes capitais culturais da Europa. O envolvimento com a promover de arte moderna contemporânea partiu do herdeiro da família, Rheinhold Würth, que, a arrebentar da década de 1960, inicia uma compilação de arte moderna contemporânea que hoje em dia é composta de 17 milénio obras de arte, possui pelo menos 2 conjuntos representativos de trabalhoss: dos artistas Anthony Dispendioso Christo – sendo o primeiro companheiro pessoal do colecionador.

Em 2003, Würth adquiriu a compilação do príncipe de Fürstenberg, composta de obras primorosas de Old Masters, em peculiar de mestres alemães dos séculos 15 16. A obtenção ocorreu durante a construção amplificação do Kunsthalle Würth, em Schwäbisch Hall, um povo medieval na localidade da Suábia, sede de uma das primordiais fábricas da empresa. Em seu Kunsthalle, empresa traz grandes exposições de artistas modernos contemporâneos, presentes em sua compilação, porém lançando mão de empréstimos de museus de arte do planeta inteiro. Perto dele, funciona hoje em dia a Johanniterkirche, uma pequena igreja medieval adaptada como espaço museológico para apresentação da compilação permanente do príncipe de Fürstenberg.

Esses três exemplos levantam aspectos ainda inexplorados pela busca em arte seu sistema. Em primeiro lugar, como já insinuado no início deste post, de que o colecionismo atual possui mas a ver com o colecionismo tradicional do que imaginamos. Aliás, de que não seria provável filosofar na treinamento dos acervos de museus de arte sem um colecionismo privado. A diferença atualmente talvez seja a de que esse colecionismo se institucionaliza na forma de museus corporativos empresariais, complementando o papel dos museus nacionais públicos, ao continuarem a simbolizar seus territórios/países.

Citamos cá Francis Haskell, um dos poucos especialistas que se interessaram pela história do colecionismo de arte. Seria necessário essencial retomar pesquisas nessa direção, para entendermos a constituição da narrativa de arte moderna contemporânea, igualmente a dimensão sociológica (se vamos poder de forma invocar) histórica da arte seu sistema. Para finalizar, pensemos somente em duas duvidas que emergem desses exemplos. Que o papel que mulheres colecionadoras tiveram na história da arte suas instituições? Quando medida o planeta empresarial se identifica com a figura do artista?